O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciará segundo orçamento prometendo aumentar os gastos militares
12/02/2018 - 13h36 em Notícias

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, revelará seu segundo orçamento nesta segunda-feira (12) na tentativa de cumprir sua promessa de intensificar os gastos militares e solicitará fundos para a infraestrutura, um muro na fronteira com o México e programas de tratamento contra opioides. A proposta orçamentária provavelmente será criticada por conservadores que temem que os republicanos estejam rumando para um déficit fiscal.

O plano incluirá US$ 200 bilhões (mais de R$ 600 bilhões) de investimento em infraestrutura e mais de US$ 23 bilhões (aproximadamente R$ 76 bilhões) para a segurança de fronteira e o controle da imigração, disse o diretor do orçamento da Casa Branca, Mick Mulvaney, em comunicado emitido na noite de domingo (11).

A proposta também financiará “uma defesa nacional robusta e recomposta”, afirmou. Mas o comunicado acrescentou que o plano recomendará cortes que reduzirão o déficit em 3 trilhões de dólares ao longo de 10 anos.

“O orçamento de fato empurra a trajetória para baixo”, argumentou Mulvaney no programa “Fox News Sunday” mais cedo no domingo. “Ele realmente nos leva de volta ao equilíbrio. Ele nos afasta dos déficits de trilhões de dólares”.

O pedido de orçamento será apresentado ao Congresso poucos dias depois de Trump ter assinado um acordo de gastos bipartidário concebido pelos parlamentares que aumentará os gastos domésticos em US$ 300 bilhões (mais de R$ 990 bilhões) ao longo de dois anos, incluindo 165 bilhões (aproximadamente R$ 545 bilhões) em gastos com a defesa e 131 bilhões (R$ 432,5 bilhões) em investimento doméstico não relacionado aos militares.

“Destroçadas” 

Trump lamentou as vidas “destroçadas” por acusações que poderiam ser falsas, depois que dois de seus assessores na Casa Branca renunciaram por supostos casos de violência doméstica. “As vidas de alguns estão sendo destroçadas e destruídas por uma mera acusação”, tuitou Trump.

“Algumas são verdadeiras e outras, falsas. Algumas são velhas e outras, novas. Não há recuperação para alguém acusado falsamente – a vida e a carreira desapareceram. Não há mais o devido processo?”, continuou.

Na última quarta-feira, o secretário do departamento pessoal, Rob Porter, renunciou, após as denúncias de abusos contra duas ex-esposas se tornarem públicas. David Sorensen, escritor de discursos da Casa Branca, renunciou nesta sexta-feira depois de que sua esposa o acusou de violência doméstica.

O governo Trump foi severamente criticado por sua torpeza no tratamento dessas denúncias, que surgem em meio a um debate nacional sobre comportamentos sexuais inapropriados e como eles devem ser tratados.

O porta-voz adjunto da presidência, Raj Shah, disse que a Casa Branca ficou sabendo na quinta-feira das acusações contra David Sorensen, “que confrontamos imediatamente”, mas “negou as acusações e renunciou hoje”, sexta-feira. Trump não só acreditou na versão de Porter, como agradeceu por “o ótimo trabalho” na Casa Branca e desejou-lhe “uma carreira maravilhosa” no futuro.

 

Fonte: O SUL

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
PUBLICIDADE