A inflação para o consumidor aumentou na terceira semana de maio
23/05/2018 11:08 em Notícias

O IPC-S (Índice de Preços ao Consumidor – Semanal) apresentou variação de 0,33% na terceira semana de maio, 0,09 ponto percentual acima da taxa registrada na última apuração. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (23) pela FGV (Fundação Getulio Vargas).

Nesta apuração, cinco das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram acréscimo em suas taxas de variação. A maior contribuição partiu do grupo Habitação (0,24% para 0,62%). Nessa classe de despesa, cabe mencionar o comportamento do item tarifa de eletricidade residencial, cuja taxa passou de 1,43% para 3,38%.

Também registraram acréscimo em suas taxas de variação os grupos Transportes (0,04% para 0,16%), Vestuário (-0,04% para 0,07%), Comunicação (0,20% para 0,29%) e Educação, Leitura e Recreação (-0,02% para -0,01%).

Nessas classes de despesa, vale destacar o comportamento dos itens gasolina (0,32% para 1,25%), calçados (-0,55% para -0,22%), pacotes de telefonia fixa e internet (0,75% para 1,03%) e teatro (0,57% para 1,28%), respectivamente.

Em contrapartida, os grupos Alimentação (0,17% para 0,09%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,99% para 0,85%) e Despesas Diversas (0,08% para 0,05%) apresentaram decréscimo em suas taxas de variação. Nessas classes de despesa, as maiores contribuições partiram dos itens: frutas (-1,40% para -2,84%), medicamentos em geral (1,79% para 1,32%) e acesso à internet em loja (0,15% para 0,00%), respectivamente.

Confiança do consumidor

O ICI (Índice de Confiança do Consumidor) da FGV  recuou 2,5 pontos em maio, ao passar de 89,4 para 86,9 pontos, o menor nível desde outubro do ano passado (85,8).

“A confiança dos consumidores cai pelo segundo mês consecutivo retornando a níveis observados no último trimestre de 2017. A perda de otimismo atinge consumidores de todas as classes de renda e capitais e parece estar bastante relacionada às piores avaliações em relação às perspectivas para o emprego nos próximos meses”, afirmou Viviane Seda Bittencourt, coordenadora da Sondagem do Consumidor.

Em maio, houve aumento da satisfação com a situação presente e piora, pelo segundo mês consecutivo, das expectativas em relação aos meses seguintes. O ISA (Índice da Situação Atual) subiu 0,9 ponto, para 77,2 pontos, recuperando parte da perda de satisfação ocorrida em abril. Apesar de ser baixo em termos históricos, é o segundo maior nível desde março de 2015. Por outro lado, o IE (Índice de Expectativas) recuou 4,8 pontos, ao passar de 99 para 94,2 pontos, o menor nível desde setembro de 2017 (93,1 pontos).

O indicador que mede o grau de satisfação com a situação da economia no momento recuou pelo segundo mês consecutivo, atingindo 82 pontos, o menor nível desde novembro de 2017 (80,6). A tendência de queda é observada também nas expectativas para a economia. O indicador que mede o otimismo com a evolução da economia nos próximos seis meses caiu 3,6 pontos, para 107,1 pontos, menor nível desde agosto de 2017 (105,7 pontos).

O indicador que mede a satisfação dos consumidores com a situação financeira da família no momento recuperou parte das perdas sofridas em abril ao avançar 2,9 pontos, para 72,7 pontos. As expectativas, que vinham se recuperando, recuaram em maio. O indicador que mede o otimismo em relação às finanças pessoais nos próximos meses recuou 1,6 ponto, para 94,8 pontos.

Fonte: O SUL

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
PUBLICIDADE