Filipe Lorenzo é um dos novos nomes da música Baiana que vem ocupando espaço com gêneros musicais muito além daqueles que a Indústria cultural impõe. “A Internet não é mais a mesma”. Vencedor do Prêmio Caymmi de Música 2015, ele lançou o seu primeiro álbum solo recentemente: Odisseia Baiana. Além de composições próprias traz músicas de amigos de outras gerações Como a dupla Antônio Carlos e Jocafi. Vamos ouvir: Odisseia Baiana, é Swing da cor (no estúdio na rádio), Prece, Ogã-mirim (no estúdio na rádio), Um Samba, Africanizar e Serafim.

Sobrinho do cantor, compositor e carnavalesco Ilvamar Magalhães. Estudou piano clássico e teoria musical ainda menino. Aos 13 anos de idade, iniciou-se no violão de forma autodidata. Em 1969 começou a atuar como guitarrista do grupo de baile de Ilvamar Magalhães, além de realizar algumas gravações para a TV Globo. Em 1978, graduou-se em violão clássico no Instituto Villa-Lobos (RJ), onde foi aluno de Milton Rodrigues. Dois anos depois, formou-se em Engenharia Mecânica pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Iniciou sua carreira profissional em 1980 como um dos integrantes do grupo Cama de Gato, ao lado de Mauro Senise, Pascoal Meirelles e Nilson da Matta. Entre 1981 e 1984, trabalhou na casa noturna O Viro do Ipiranga (RJ), onde se apresentava todos os dias da semana. A seu lado, músicos como Paulo Russo, Nilson Matta e Wanderley Pereira, e convidados especiais como Mauro Senise e outros. Em 1985, mudou-se para os Estados Unidos, fixando residência em Nova York. Fez parte, nessa época, do grupo de Duduka da Fonseca, New York Samba Band, e da banda de Astrud Gilberto, com a qual atuou durante quatro anos. Paralelamente, atuou com Herbie Mann, com quem, até hoje, realiza alguns trabalhos. Acompanhou, em palco e estúdio, diversos artistas, como Dianne Reeves, Michael Brecker, Kathleen Battle, Herbie Mann, Ivan Lins, Flora Purim & Airto Moreira, Paquito D'Rivera, Harry Belafonte, Grover Washington Jr., Leny Andrade, James Carter, Dave Weckl e César Camargo Mariano, entre outros. Em 1995, casou-se com a cantora norte-americana Pamela Driggs, com quem também costuma se apresentar na noite de Nova York. Em 2002, lançou os CDs "Brazilian Routes" (Aosis) e o CD "Duo" (Trama), este último com César Camargo Mariano. Em 2005, dividiu o palco do Mistura Fina (RJ) com a cantora Dianne Reeves. É um dos integrantes, juntamente com Duduka da Fonseca e Nilson Matta, do Trio da Paz, com o qual gravou três discos. Ouviremos: Choro número 7 (Com César Camargo Mariano), Aquarela do Brasil, For Donato, Paraty (com Mauro Senise) e Limpando Chaminé.

Deixe seu Comentário