Brasil Regional especial comemorativo aos 21 anos do programa e também pela veiculação da edição de número 800. Duas marcas de merecido destaque partilhadas com o público ouvinte que ao longo destes longos anos sempre acompanhou, prestigiando e participando das mais diferentes formas. E para celebrar essas duas comemorações vamos receber Zé Pitoco, artista que é a síntese do Brasil Regional pelo que representa para a música brasileira.  Aos mestres do Canavial, Bibiu na Lambada, O Xará, Pensando Nela e Forró das catacumbas com Zé Pitoco, Forró do Zé Pitoco com Chico César e Zé Pitoco e Carecendo com Mônica Salmaso.

O Brasil nunca se viu tão rico

Era um garoto que amava os Beatles e os Rolling Stones, mas também Pink Floyd, Led Zeppelin e Bob Dylan. Ouvia ainda Clube da Esquina, Tropicália e a Jovem Guarda. Mas foi o álbum duplo Na Quadrada das Águas Perdidas, lançado em 1979, por Elomar, que fez toda a diferença na vida do produtor e apresentador Deraldo Goulart do programa Brasil Regional. “Foi quando conheci um Brasil profundo que passei a admirar e pesquisar”, lembra Deraldo. 

A partir de então, conheceu as coletâneas de Marcus Pereira e o registro da cultura oral feito por Mário de Andrade na obra O Turista Aprendiz. Com essas e outras referências passou a divulgar a riqueza musical que brota nos grotões do País. E adotou o mote popular: “Brasil Regional, o Brasil nunca se viu tão rico”. No ar desde maio de 2001, o programa semanal da Rádio Senado, chega à edição de número 800. 

Em 21 anos de veiculação passaram mais de três mil artistas que já tocaram cerca de dez mil músicas. Um dos ícones da MPB, o violonista, cantor e compositor Toquinho, ressalta a relevância do programa. “No Brasil Regional, a música instrumental tem vez. A MPB tem espaço e onde as cantigas de folclore são lembradas. Parabéns, a Rádio Senado e a todos que fazem do Brasil Regional um dos mais destacados programas da música brasileira”.

Deixe seu Comentário