Aplauso desta semana celebra a vida e a obra do cantor e compositor mineiro Marku Ribas, uma das grandes referências quando o assunto é a mistura de ritmos afros, latinos e brasileiros. Se estivesse vivo, esse mineiro de Pirapora, completaria 75 anos, em 19 de maio de 2022. Para lembrar a data, o autor de Zamba Ben, ganhará um dia inteiro de comemorações, em Belo Horizonte, com dezenas de shows e intervenções artísticas, no que foi apelidado de Marku Day, em referência ao Fella Day, criado em homenagem ao lendário músico Fella Kuti. Uma das filhas de Marku Ribas, a também cantora e compositora Júlia Ribas, participa do programa Aplauso para lembrar momentos marcantes da trajetória do pai, como a participação no álbum Dirty Work (2006) dos Rolling Stones, além de contribuições em filmes no Brasil e no exterior, como Batismo de Sangue (2006) do diretor Helvécio Ratton e Quatre Nuit D’une Revêus (1971), do diretor francês Robert Bresson. Além de muitas estórias emocionantes e divertidas que ligam Marku Ribas à música e ao cinema, o programa também é uma oportunidade para relembrar as composições criativas de Marku Ribas e reforçar o pioneirismo de Ribas na divulgação do samba-rock.

Músicas utilizadas
Zamba Ben (Marku Ribas) – Marku Ribas
Pacutiguibê Iaô (Marku Ribas) – Marku Ribas
Aristoporindé (Marku Ribas) – Marku Ribas
Urubu É Meu Lôro (Marku Ribas/ Reinaldo Amaral) – Marku Ribas
Barrankeiro (Marku Ribas/ Kleber Diniz): Marku Ribas
Sambatema (Marku Ribas): Marku Ribas
Kelé (Marku Ribas/ Djalma Correia/ João Donato): Marku Ribas
Um Calo de Estimação (Zé da Zilda/ José Thadeu): Elza Soares/ Marku Ribas
Beira d’Água (Marku Ribas/ Erasmo Carlos): Marku Ribas e Erasmo Carlos.

Deixe seu Comentário