O húngaro que se empenhava para divulgar e promover a obra dos colegas, dava aulas a pupilos promissores e compunha música de difícil execução. Um assombro diante das teclas do piano, que inflamava a plateia europeia do século XIX. O talento magiar de Franz Liszt!

Krystian Zimerman e Orquestra Sinfônica de Boston regida por Seiji Ozawa – Concerto para Piano e Orquestra n. 2 (Liszt)

Orquestra Leipzig Gewandhaus regida por Kurt Masur – Poema Sinfônico n. 3 “Les Préludes” (Liszt)

Direção e apresentação – Ana Lucia Andrade

Deixe seu Comentário