Inflação em Santa Maria ultrapassa média nacional
11/01/2017 07:43 em Notícias

Itens influenciados pelo governo elevaram o Custo de Vida no ano passado

 

A inflação no município subiu mais do que a média nacional no ano passado. Conforme o Índice do Custo de Vida de Santa Maria (ICVSM), no acumulado de 2016, a variação foi de 8,52%, superior à meta nacional de inflação estipulada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), com teto de 6,5%. Entretanto, o índice é menor do que o registrado em 2015, quando a inflação local fechou o ano em 10,51%.

O grupo Alimentação concentra a alta dos preços, porém é a suba dos valores influenciados pelo governo os principais responsáveis por esvaziar as carteiras dos santa-marienses. É o caso de combustíveis, bebidas, cigarros, medicamentos, telefonia e transporte público. O etanol, por exemplo, registrou alta de 23,49% em 2016, enquanto que a gasolina subiu 10,41% e o diesel 1,37%. No geral, o grupo Transportes apresentou alta de 0,95% ao longo do ano.

Destaque também para o grupo Comunicação. Em 2016, a variação absoluta foi de 26,36%. Porém, em dezembro apresentou queda de -0,49%. Isso ocorreu porque o preço dos celulares teve queda de -4,3%, enquanto que os demais itens do grupo seguiram estáveis.

“Para 2017, a recuperação econômica passa necessariamente pela estabilidade política, bem como pelos planos de austeridade propostos, tanto pelo governo federal e estadual, os quais devem focar não apenas nos cortes, mas sim em soluções, sendo estas transparentes e acima de tudo éticas”, informa o estudo realizado pelo curso de Ciências Econômicas da Unifra.

Inflação volta a subir em dezembro

No último mês de 2016, o ICVSM registrou alta de 0,59% e inverteu a tendência de queda apresentada desde agosto. O grupo Saúde e Cuidados Pessoais, por exemplo, apresentou inflação 1,28% superior ao mês anterior. Em 2016, o grupo apresentou alta de 12,38%. Os medicamentos estão entre os principais culpados, devido à influência do Dólar, que começou o ano em torno de R$ 4,00 e fechou em R$ 3,25 (variação de -23%). Todavia, a queda da moeda norte-americana não foi repassada aos medicamentos.

As liquidações de final de ano ajudaram a derrubar o valor de alguns produtos, como DVD (-7,4%) e impressoras de computador (-1,6%). Porém, alguns itens tiveram o efeito contrário. É o caso dos fogões elétricos ou a gás (3,0%) e das máquinas de lavar roupas (2,8%).

Prepara-se para a volta às aulas

O grupo Educação também despontou acima da média geral de 2016. Durante o ano, a variação foi de 18,59%, registrando aumento de 0,13% em dezembro. Conforme o ICVSM, em janeiro e fevereiro, os itens deste grupo devem ser reajustados para o período de volta às aulas. Em dezembro, lápis e canetas, já demonstraram a tendência de suba, com inflação de 8,6%.

 

Itens que se destacaram durante o ano

Alimentação 

Queda

Cenoura -36,14%

Beterraba -23,29%

Cebola -22,70%

Pão francês (cacetinho) -14,32%

Repolho -14,13%

Miúdos de frango (coração, moela...) -13,57%

Tomate -13,49%

Cafezinho -11,15%

Polentina -11,14%

Melão -11,13%

Suba

Arroz comum +42,57%

Mandioca +43,77%

Café solúvel +47,68%

Moranga +47,76%

Caqui +51,14%

Azeite de oliva +52,47%

Creme de leite +53,30%

Lentilha +61,52%

Feijão +90,52%

Mel +112,22%

 

Produtos e serviços em geral

Queda

Chinelos -52,63%

Bolsa e carteira de mulher -47,68%

Saia infantil -47,46%

Preço do telefone público -46,63%

Vestido infantil -41,71%

Camiseta homens -41,20%

Mão de obra para revisão de automóvel -36,50%

Blusa mulher -34,86%

Aquisição de bicicleta -33,07%

Roupa íntima infantil -31,08%

Suba

Aquisição de armário simples, duplex ou embutido (quarto solteiro) +62,51%

Meias mulher +70,19%

Fralda descartável infantil +70,75%

Aluguel de roupa homens +74,99%

Remédios anti-infecciosos +80,53%

Artigo de maquiagem +86,872%

Roupa de cama +111,35%

Meias infantis +143,98%

Preço do telefone residencial (internacional) +224,24%

 

FONTE: A Razão

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
PUBLICIDADE