Procon voltou aos postos, nessa quinta (21), para verificar como os preços estão sendo repassados para os consumidores.

Após reajuste de 12% pela Petrobras, Procon volta a fiscalizar postos de combustíveis de Rio Branco Asscom Procon Pela terceira vez seguida, o Departamento Proteção e Defesa do Consumidor do Acre (Procon-AC) voltou a fiscalizar os postos de combustíveis de Rio Branco.

A partir de quinta-feira (21), as refinarias aumentaram em 12% o preço médio da gasolina.

O anúncio do reajuste foi feito na quarta (20) pela Petrobras. No mesmo dia em que passou a valer o aumento, o Procon voltou aos postos visitados anteriormente para checar como estão sendo repassados os preços para os consumidores. É o terceiro aumento no preço da gasolina da Petrobras neste mês, em meio a uma recuperação nos preços do petróleo, que influenciam os reajustes da companhia. A Petrobras também já informou um reajuste no diesel, de 8%, aplicado a partir da última terça, quando houve a primeira elevação desse combustível nas refinarias da estatal no ano. Ao G1, o diretor-presidente do Procon-AC, Diego Rodrigues, disse que devem ser fiscalizados novamente os 52 postos de combustível.

A ideia, segundo ele, é comprovar se os preços são passados de imediato para o consumidor. “Entramos em campo para fiscalizar e saber se os valores estavam sendo repassados, se os preços estavam baixando na bomba e percebemos que começaram a ter baixas ali, mas não demorou e nem foi no tempo que devia.

Entramos em campo para monitorar.

De lá para cá houve mais três reajustes, e nossa ação é justamente para identificar se é repassado porque quando a diminuição é dada pela refinaria não é repassado de imediato na bomba e o consumidor acaba perdendo isso”, afirmou. Rodrigues relembrou que há um tempo para que esses valores sejam repassados aos consumidores, mas sem demora para que o consumidor não seja prejudicado. “A gente quer identificar isso, se estão passando o aumento de forma imediata.

Temos prazos para que apresentem as planilhas, que apresentem as notas fiscais dos pedidos para que possamos constatar com todos os dados técnicos”, destacou. A documentação disponibilizada é avaliada pela Promotoria do Consumidor do Ministério Público do Acre (MP-AC).